abrir menu
Home IrecêOn
imagem topo
1 de novembro de 2017

Combate a diabetes: Novembro também é mês no combate a diabetes

O Dia Mundial do Diabetes, 14 de novembro, trouxe a cor azul para as campanhas mundiais de divulgação e  sensibilização em relação ao tema, seguindo exemplo da campanha para prevenção ao câncer de próstata, “Novembro Azul”. A data foi instituída pela Federação Internacional de Diabetes (IDF) e pela Organização Mundial da Saúde  (OMS) desde 1991, e conta com o reconhecimento e apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), que em  dezembro de 2006 assinou uma Resolução reconhecendo o diabetes como uma doença crônica e de alto custo  mundial.

Com o objetivo de promover ações que conscientizem a população sobre a importância da prevenção e educação em diabetes, acontece, no dia 14 de novembro, o Dia Mundial do Diabetes. A campanha é uma ação da International Diabetes Federation (IDF) e da Sociedade Brasileira de Diabetes. Na edição brasileira, a data será lembrada durante uma semana.

Conheça os tipos de diabetes e como cuidar da doença.

Tipos de diabetes

Tipo 1: mais frequente em crianças e adolescentes que desenvolvem anticorpos contra o próprio pâncreas.
Tratamento: insulina injetável

Tipo 2: mais frequente em obesos, idosos e em pessoas com genética favorável. “Indivíduos com histórico familiar precisa de uma atenção ainda maior”, explica Soares. Essas pessoas tem resistência à insulina e o metabolismo da acaba necessitando de uma quantidade ainda maior de insulina.
Tratamento: hipoglicemiantes orais, em comprimidos e injetáveis

Segundo o médico Rodrigo Siqueira, endocrinologista da Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro, a diabetes pode acontecer em qualquer idade. “Certamente a diabetes de bebês recém-nascidos é mais complicada pela dificuldade do controle da doença, em virtude da necessidade da aplicação de doses muito baixas de insulina”, explica. Os riscos aumentam em pessoas obesas e sedentárias.

Diferente do que muitos dizem, a diabetes não pode levar ao câncer, mas pode agravar quem já tem. “Estudos epidemiológicos mostraram que a coexistência de diabetes e câncer aumenta a mortalidade em certos tipos de câncer”, explica Siqueira. A doença é metabólica crônica, portanto não tem cura. Por isso, as pessoas que sofrem de diabetes devem seguir o tratamento adequado.

Patricia Vilella

Designer, social media, fotografa, marketing expert, Relações publicas internacionais expert e fluente em 4 idiomas! Tempo? Nem pra respirar!!

Comentários