abrir menu
Home IrecêOn
imagem topo
26 de outubro de 2015

Fatores de riscos na gestação! Porque devemos ficar atentos?

Estar gestante é tão delicioso que devemos aproveitar ao máximo, com a nossa saúde em dia. Prevenir é sempre a melhor opção pois vários fatores de riscos podem interferir na evolução para se ter uma gestação tranquila. Dentre os principais vamos destacar; extremos de idade, peso pré gestacional, peso inadequado adquirido durante a gestação, baixa estatura, número de vezes que já se foi mãe, curto intervalo de tempo entre uma gestação e outra, uso de substâncias lícitas e ilícitas, além de doenças prévias à gestação, como diabetes e anemia, ou presentes em gestações anteriores, como diabetes gestacional e síndromes hipertensivas da gravidez.

 

O acompanhamento do peso durante a gestação é de fundamental importância, pois apresenta a relação direta com os resultados obstétricos, influenciando no ganho de peso fetal. Estar desnutrida ou com ganho de peso insuficiente acarreta redução da expansão do sangue materno, baixo transporte de nutrientes ao feto o que leva ao retardo do crescimento intra uterino. O baixo peso, prejuízos no crescimento, deficiências imunológicas e prematuridade ao nascer é uma das principais consequências da desnutrição materna. Por outro lado o ganho de peso excessivo também causa prejuízos como diabetes gestacional, síndromes hipertensivas como a pré eclampsia, além de proporcionar maiores riscos obstétricos durante o parto, contribuindo para maior número de partos cesáreos.

 

Extremos de idade, estão bem relacionados a resultados obstétricos indesejáveis. Gestantes adolescentes com idade inferior a 14 anos são consideradas de riscos devido ao seu crescimento e à imaturidade biológica. Ser mamãe muito jovem além de causar prejuízos para a mesma, tem associação positiva com o nascimento de recém nascidos de baixo peso, retardo de crescimento intra uterino, parto prematuros e toxomia induzida pela gravidez, que pode predispor problemas imediatos ou a longo prazo, como hipoxia, tocotramautismo (lesões produzidas no feto durante o trabalho de parto), hemorragias intracranianas, infecções e atraso no desenvolvimento neuropsicomotor. Assim como a gestação primeira em mulheres com mais de 35 anos está associada a maior risco de aborto espontâneo, síndromes hipertensivas da gravidez e diabetes gestacional, placenta prévia e óbito fetal. O risco de anomalia genética aumenta a partir dos 40 anos, principalmente o de trissomia do cromossomo 21. Como o fator idade não pode ser alterado, torna-se necessário intensificar a atenção com outros fatores de riscos envolvidos como a obesidade, as deficiências nutricionais e o uso de álcool, fumo e drogas ilícitas, evitando potencializar os riscos já existentes.

 

E de extrema importância ficarmos atentos a qualquer novo sinal que nosso corpo anuncia. Realização do pré natal, cuidados com a alimentação e praticar atividade física, são fatores primordiais para eliminar os riscos associados a gestação. Esteja sempre bem amparada por uma equipe multidisciplinar (médico, nutricionista, fisioterapeuta, educador físico), que lhe passe confiança e lhe dê a atenção devida para percorrer os 9 meses cheia de saúde e disposição.

Janaina Meira

Nutricionista Clínica Especialista em Materno Infantil CRN5- 7511 janaina.meira@hotmail.com

Comentários